Mostra de culturas destaca identidade regional do Sertão Central

Mapeamento cultural do Sesc reaviva tradições e encontra novas expressões de arte na região

Um território localizado geograficamente no meio do Estado, no coração do Ceará, o Sertão Central se estende pelas paisagens do semiárido, acompanha o curso dos rios Jaguaribe e Banabuiu, passando pelos grandes monólitos rochosos de Quixadá e Quixeramobim, duas das primeiras cidades fundadas na região.

Estes dois municípios foram o campo de pesquisa para o Sesc em um mapeamento de culturas populares tradicionais, artesanias, costumes, histórias e também das novas criações de arte presentes ali. A nova estratégia da intuição, que integra o Sistema Fecomércio, é levar suas ações culturais para outras regiões do Ceará e impulsionar o desenvolvimento social por meio da arte.

O Sertão Central surpreendeu com sua força e diversidade e será a segunda região cearense a receber uma Mostra de Culturas. Na construção da primeira edição, o marco inicial foi encontrar a fonte pulsante de vida cultural, as pessoas que movimentam o cenário artístico, os lugares que podem receber espetáculos e reuní-los em um grande encontro que mostre a identidade regional e os aproxime de realizadores culturais de outras regiões do Brasil. 

“Para compor a programação da Mostra Sesc de Culturas Sertão Central levamos em conta critérios de qualidade técnica, potência criativa, aspectos estéticos e conexões com as expressões artístico-culturais, relações históricas e perfil de públicos da região. Consideramos, sobretudo, os desejos e sonhos de artistas, escritores, gestores, agentes culturais e entusiastas da região”, explica o gerente de Cultura, Chagas Sales.

O encontro vai acontecer de 25 e 28 de julho, nas cidades de Quixadá, Quixeramobim, Senador Pompeu e Ibaretama. A programação de Música Artes Cênicas, Literatura, Tradição, Audiovisual, Artes Visuais, Ações Formativas tem mais de 250 convidados, entre artistas, mestres da cultura e pesquisadores e deve contemplar o público de 50 mil espectadores. A abertura terá o show da Banda Jota Quest e o encerramento com Morais Moreira e Fausto Nilo.

Cantoria

Nessa prospecção, o Sesc encontrou os cantadores repentistas ainda fazendo  sua poesia ao som da viola,  improvisando e versejando em  poemas em sete ou oito pés, moirão, martelo, embolada e tantos outros formatos que estes poetas populares dominam e perpetuam. No dia 26 de julho, os poetas Geraldo Amâncio, Guilherme de Almeida Nobre, Damião Monteiro, Lourival Bezerra se encontram na Mostra para um intercâmbio e lançamento de cordel.

“A viola e a literatura oral na expressão do cantador é outra identificação muito importante, porque une literatura, música, poesia, oralidade, história, tradição, mas também contemporaneidade. É um discurso criativo muito impactante e que merece essa visibilidade dentro de uma Mostra de Culturas”, explica Chagas.

Boi de Reisado

A Mostra homenageia também um dos folguedos mais antigos de Quixeramobim, o Boi de Reisado de Mestre Piauí, mestres de cultura cearense que morreu em março de 2019, deixando a herança da tradição para seus conterrâneos. O grupo de brincantes do Boi Estrela continua e estará no cortejo de abertura dias 25 e 26. 

“Mestre Piauí é um ícone da tradição popular e estamos o homenageando no nosso Circuito de Teatro de Rua, batizando com seu nome. É uma forma de trazer visibilidade ao mestre, reiterar a importância da sua atuação, dos seus saberes, seu conhecimento, da sua brincadeira”, explica o gerente.

Bandas instrumentais

Em todo o Ceará, os conjuntos instrumentais disseminaram o acesso à educação musical, formando músicos e estimulando as composições autorais. Três instrumentos foram escolhidos como ícones da identidade visual da Mostra do Sertão Central. Na programação, as bandas municipais de Quixeramobim e de Quixadá se apresentam nos cortejos de abertura e participam do Papo Criativo com o grupo carioca Fanfarrada.

“As bandas de música, ora retreta, ora charanga, formadas por instrumentos musicais como a tuba, trombone, trompete, bombardino, saxofone, clarinete e percussão, são elementos simbólicos de importante significado para a região do Sertão Central. Discursos sonoros que despertam em cada melodia, em cada ritmo, lembranças e historias afetivas de festejos e celebrações populares de sua gente”, afirma ele.

Serviço

I Mostra Sesc de Culturas do Sertão Central
Data: 25 a 28 de julho
Locais: Quixadá, Quixeramobim, Senador Pompeu e Ibaretama

Notícias recentes
Uma nova história começou a ser escrita no Sertão Central. Com um público de cerca de 20 mil pessoas, cantando a uma só voz a música “Dias Melhores”, a banda...
A cultura sempre figurou entre os principais pilares da atuação do Sesc – Serviço Social do Comércio a partir de ações de fomento e de promoção de acesso às artes. Baseado nessa proposta, o Sesc CE realiza a Mostra...
Herança cultural cantada em verso e prosa típicos do nordeste brasileiro, a cantoria dos repentistas carrega em seus poemas a memória popular e a arte do improviso. O Ceará é...